Como Tudo Aconteceu

Pra celebrar o amor e a minha nova idade (36 aos mais curió) e eu vou continuar um papo que começou no facebook.

Assistindo ao filme do Chico Xavier, comentei que eu já tinha recebido uma carta da minha vó. E vocês sabem o quanto fui/sou/serei apegada à essa senhorinha. Então imaginem a minha emoção...

Foi assim:

Há 2 anos. O Alê teve um piripaque e não era nada, Graças a Deus.
Depois de um monte de exames, meu cunhado disse que ele precisava ir ao centro pra receber boas vibrações...
Como já fazia um tempão que eu não ia, e queria ir, fomos.
No Perseverança, na zona leste de São Paulo. Um lugar mágico. Sério.
Começamos o tratamento e dei o nome da minha vó pra receber a psicografia.
Você toma o passe, assiste a palestra e no final da palestra eles PODEM chamar o nome do desencarnado ou não. Se chamarem é porque ele entrou em contato. Então os parentes são chamados numa sala pra receber a carta.
Nesse dia, eu fui, fiz tudo, e resolvi dar o nome dela. Vai que.
Não desacreditei e nem me empolguei. Apenas dei o nome.
Entrei no salão de palestra (não sei se vocês conhecem, mas é muuuito grande), achei um canto, sentei e senti o peito cheio. Não era falta de ar, não era dor, não era mal estar. E comecei a chorar.
MUITO. Chorei, chorei, chorei. Do começo ao fim da palestra. Não lembro nada do que foi dito, só lembro que chorei um absurdo.
Acabou a palestra e eu parei de chorar. Assim mesmo. Cabô/cabô.
Como é muito grande e sempre muito cheio, nós esperamos esvaziar um pouco pra sair.
Esqueci das psicografias...
Quando ouvi o nome da minha vó. Só eu ouvi.
O Alê, minha cunhada, meu cunhado... Nenhum deles ouviu.
Eles falam no microfone, e geralmente só quem deu o nome presta atenção, o resto vai saindo devagar, conversando e tal.
Eles acharam estranho: "Sério, chamou mesmo? Que sala?"
Porque chamam as pessoas e avisam pra ir até a sala tal.
E lá fui eu, calmamente, sem coração acelerado, sem nervosismo, ansiedade. Não me pergunte como e nem porquê. Fui.
Entrei numa sala com 4 mesas, uma em cada canto. 2 trabalhadores na porta, e 1 em cada mesa com uma carta na mão, as pessoas sentam e eles lêem as cartas, antes de entrega-las.
Entrei sozinha, depois pediram pra chamar o Alê. Eles não sabiam que eu estava acompanhada por ele.
O médium apenas leu. Só leu e me entregou.

Li, reli, rerereli e mandei pra família toda - menos pro meu padrinho!!! "Desculpa, tio! A gente se vê e eu esqueço de entregar, esqueço de levar no correio, sou péssima. Desculpa!".

Aos que acreditam, continuem perseverantes no amor que recebemos de Jesus. Igual nunca seremos, mas sempre há como melhorar.
Aos demais, todo amor que houver nesta vida pra vocês.

Um beijo e até.

Comentários
12 Comentários

12 comentários:

  1. Chorei muito. Hoje estava precisando desabafar e chorei. É muito emocionante acreditar que alguém que partiu pode se conectar conosco. É preciso merecer. Quero muito receber, uma palavra que seja, dos meus pais. Bjks. Iaia Arteira

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Temos que manter nosso pensamento no bem e acreditar que td sempre dá certo.
      Mesmo sem a gente ver, seus pais estão "olhando" por vc! E uma hora eles aparecerão, vc vai ver!

      Um beijinho no seu coração

      Excluir
  2. Eu acredito e muito nisso. Já fui algumas vezes em um centro assim. E que emoção deve ter sido para vc quando leu a carta da sua avó. ♥
    Beijos
    Adriana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dri, não frequento mais pq o André dá muito trabalho e não adianta ir por ir... Mas me faz muito bem.
      Quanto à emoção... Foi demais!

      Beijnho!

      Excluir
  3. Que emocionante deve ter sido. Acredito muito nisso e tenho certeza que um dia vou encontrar meus queridos que já estão do outro lado. Obrigada por partilhar. beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi sim, Margarete! A gente vai se encontrar tbm... hahahaha

      Um grande beijo!

      Excluir
  4. Que bênção Janaina.
    Sabe que quando eu morava em SP fui por bastante tempo no Perseverança, dava o nome da minha avó, também, mas nunca recebi nada.
    Existem coisas que, simplesmente, não são para acontecer.
    Ela foi, até agora, a única pessoa de quem eu gostaria de ter recebido um recadinho, uma mensagem. Agora começo a colecionar e acalentar com um dia assim com outras pessoas queridas, tbm.
    Independente de receber ou não - embora receber dê um alento ao coração - o importante mesmo são os laços que nos unem e que a passagem para o outro plano não rompe jamais.

    Grande abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que legal que você conhece o centro, Claudia! É como vc disse mesmo: "Existem coisas que, simplesmente, não são para acontecer", não naquele momento, né?!

      Um beijão!

      Excluir
  5. Muito emocionante! Morro de vontade de receber uma carta do meu pai... Já faz algum tempo que não vou ao centro, mas acredito que as coisas acontecem quando têm que acontecer... nunca perco a esperança ♡

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não deixe de ir... É sempre bom a gente parar um poquinho pra pensar nos nossos atos, né, Fê?!

      Sua hora de cartacarinho vai chegar!
      Beijão!

      Excluir
  6. sempre vou ao centro querendo receber notícias, e quando percebemos da possibilidade é um alento ao coração
    bj e até breve

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Patrícia, se é... Por mim, todo mundo receberia um carinho desse...
      Beijinho!

      Excluir

FAZ DE CONTA que esse post é vital pra você e repasse para seus amigos...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Voltar ao topo Web Analytics
Casa de Faz de Conta © Copyright 2013. Desenvolvido por Elaine Gaspareto